quinta-feira, 30 de junho de 2011

Frutas de verão

Eu sei que é engraçado começar a falar de tendência de verão, ainda mais com o frio que está lá fora e o inverno ter começado literalmente “dia 21 de junho” (semana passada), mas com um pé aqui e outro lá no nosso verão 2012, me flagro revendo, reavaliando e mudando conceitos. E não me cobro, viu?! Já aceitei que na vida e na moda o “nunca diga nunca” é libertador! (Tente, rs.)
Se outrora os figurinos de Carmem Miranda foram considerados extravagantes, agora as bananas e muitas outras frutas aparecem para compor o visual feminino e não apenas na cabeça, mas no corpo todo. Após algumas temporadas com os mais diversos florais e a febre das estampas de bicho, agora os looks frutais são a grande aposta para o verão.
Não tem muito segredo ou regra para esta tendência, mas a minha dica é: se você adora estampa invista num look total, sendo esta a parte mais chamativa/style da produção. Se você não é fã de estampas e muito menos de frutas, mas quer dar uma atualizada compre algo localizado e invista com peças básicas numa cartela de cores reduzida, para não perder a elegância.

E aí, quem pretende em breve se arriscar numa salada de fruta? rs.
.

terça-feira, 28 de junho de 2011

Truque: Cintos

Cinto fininho, cinto largo, cinto médio... Está aí um acessório que não fazia parte do meu guarda-roupa, teve seu tempo de aceitação, adaptação e agora muitas vezes é fundamental. E vejo que não sou só eu, às vezes bate aquela dúvida de como coordenar, se ajuda a valorizar ou estraga a produção, não é mesmo? Pensando nisso, o post de hoje é para desvendar este acessório precioso que não serve (mais) somente pra segurar a calça ou o short no lugar.

Cinto fininho para marcar a cintura: invade menos espaço no visual e marca a cintura sutilmente, por esse motivo pode ser considerado o mais elegante e o mais “assertivo” dos modelos. Pois para quem não sabe por onde começar nesse assunto? Comece por um cinto fino = valoriza sempre! Pode ser utilizado para acinturar os tricôs, casacos leves, vestidos retos, ou seja, para dar forma.
Cinto fino para demarcar a silhueta: além de apertar a cintura pode aparecer na composição como um acessório para enfeitar o styling, determinando sua silhueta (até onde vai seu tronco e suas pernas). Se o visual ficar dividido em duas partes? Opte por looks monocromáticos, com destaque na cor do acessório/cinto ou use a cor do cinto combinando com alguma cor da sua roupa.

Cinto médio é o mais usado: é mais casual, e continuamos apostando no acessório para marcar a cintura com peças de roupas mais grossas/pesadas ou mais estampadas. Além disso, a espessura média é mais firme e garante uma força extra para quem quer apertar um pouquinho a cintura. Este modelo é perfeito para as mulheres que tem cintura = formato de corpo ampulheta.

Cinto largo pode ser o mais perigoso: cinto largo chama muita atenção onde “não” precisa ou tira as suas curvas, por isso perigo! Se você não for muito magra ou formato violão (muita cintura)? É melhor escolher outro modelo de cinto. Esse tamanho é usado para causar impacto no visual, é o principal item do look, não tem como deixar de reparar. E para não acabar com você, a produção tem que ser feita com cuidado. Os modelos médios de volta dupla entram nessa categoria, e para não errar a mão, dê preferência para cores neutras.

E para finalizar, vale resumir algumas “regrinhas”:

1. Quem tem quadril largo e quer disfarçar, o ideal é optar por cintos na cintura ou um pouco mais acima, logo abaixo do busto.
2. Para quem é magrinha e quer parecer mais “violão”, use cinto no cós da calça.
3. Cuidado ao usar cintos muito largos, eles “cortam” o tronco, por isso prefira os médios ou mais fininhos.
4. Para quem é alta vale usar o cinto mais baixo, meio que na altura do ossinho do quadril.
.

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Um sapato para cada Cinderela

Uma das coisas mais engraçadas que acho na moda é a quantidade de nomes que existem para um mesmo tipo de produto. E falando de sapatos, muitas vezes, nem quem vende sabe o que é ou como se “pronuncia”. A verdade é que foram criados tantos modelos, variações e versões diferentes que pra classificar, só mesmo inventando “traduções” para cada um. Quando eu era criança, por exemplo, só existia basicamente o tamanco (nossa, quem lembra disso?), a sandália, a sapatilha, a bota, o chinelo e… o tênis mesmo. Devia até existir outros tipos, só que eles não recebiam nomes tão “rebuscados”.
Entretanto, não há dúvida que essa praticidade fashion de outrora foi abandonada e hoje em dia existe o wedge, o pump, o peep toe, o open toe, boots, ankle boots, coturnos… e por aí vai. E se é difícil pra mim, que trabalho com isso, lidar com tantos nomes, imagina para quem não é desse universo? Pois é, amigas, estar atualizada/informada hoje em dia não é moleza!
Mas não se preocupem, depois que vocês guardarem (e decorarem!) essa ilustração, seus problemas (alguns!) irão acabar:

Tão legal ver quantos ''pisantes'' diferentes existem nesse mundo, né? E apesar de eventuais dificultades, essa diversidade da moda é muito boa! Dessa forma, cada pessoa encontrará o “par (de sapatos)” que combine com o seu estilo. E assim, nem todas as Cinderelas precisam ir ao baile com um par de “Stilettos”, mas cada uma delas pode usar (e ser) o que quiser. Ou seja, como um par perfeito!

Fonte: Chic é ser Inteligente

segunda-feira, 13 de junho de 2011

{Dicas de Consultoria} O jogo dos 10 pontos

Olá, meninas! Boa segunda-feira... Hoje trago aqui para vocês um jogo/teste que facilita a vida “da gente” em relação até onde podemos ir na hora de combinar roupas e acessórios. É sempre uma grande dúvida para quem não usa ou ousa pouco (acessórios), tem receio e por pensar demais acaba desistindo, porque já basta o tempo para quebrar a cabeça pensando no que vestir, não é mesmo?
É uma brincadeirinha que direciona o uso de acessórios e a coordenação deles nos looks de todo dia. Funciona assim: cada elemento que vestimos/usamos tem uma pontuação. Aí nos montamos/se produzimos pela manhã, contamos os pontos e vamos adicionando ou tirando coisas para ficarmos entre 10 e 12 pontos.
Exemplo: 10 pontos é o equilíbrio – tipo pra não errar, 12 é mais uma ousadia/criatividade e menos de 10 pontos é básico demais. E mais que 12 (13, vai) é tipo produção de passarela, rs. Ou melhor, é necessário muito cuidado, personalidade & estilo para saber coordenar.
Mas lembrem sempre: para tudo e para todos, os pontos servem de “direcionamento” e não para dizer que temos que usar/vestir ou ser 8, 9, 10, 11...
E aí, alguém topa brincar?

É isso! Fácil, não? Para não perder tempo, salve a montagem, imprima e cole-a na porta do seu armário e conte todos os dias pela manhã antes de sair de casa, sem medo. E arrase!
.

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Atualize-se: boots, ankle boots e coturnos

Olá, meninas! Com a chegada do frio, trocamos nossas sapatilhas e scarpins por algo mais quentinho e consequentemente mais pesado para cobrir os nossos pés. No quesito botas, as de montaria, já fazem parte do nosso guarda-roupa desde os últimos invernos e agora temos nas boots, ankle boots e coturnos a esperança de trazer novidades para as nossas composições invernais. Eu mesma fui atrás de ideias/modelos que dessem um update às minhas roupas, como sempre digo: um sapato bonito/qualidade/style faz toda a diferença!

Trago aqui as botas “IN” de comprimento MIDI = bota de cano médio, ou seja, em que o cano atinge a metade da perna. Só cuidado geograficamente, é aí que mora o perigo. Ainda que possa ser usada tanto por quem tem pernas longas, quanto pelas mais baixinhas; a bota de cano médio exige batata da perna fina, finíssima de preferência. Isso porque, mesmo que o cano seja largo, é preciso uma visível folga entre perna e bota. É importante deixar a medida exata de pele à mostra, para não ficar + baixa e nem com a perna + grossa, equilibrando a proporção entre sua altura e o comprimento da saia. Quanto menor a estatura, mais curta deve ser a saia, e por aí vai.

Então atualize-se e divirta-se!
.

quarta-feira, 1 de junho de 2011

O que elas nos ensinaram?

De tempos em tempos algumas mulheres – da ficção ou da vida real - acabam tornando-se ícones de sua geração ao expressar ideias e/ou ideais que refletem o pensamento da uma época. Quantas delas já existiram? Centenas, talvez... E muitas eu admiro e me inspiram. Aliás, gosto de passar para vocês, aqui no nosso blog, algumas frases que estão ligadas à moda, estilo, comportamento e bem viver, ditas por algumas delas. Quatro mulheres/musas, quatro gerações e a paixão pela moda em comum. São elas: Coco Chanel, Costanza Pascolato, Carrie Bradshaw e mais recentemente, Blair Waldorf.