sexta-feira, 9 de maio de 2014

Dia das mães!
 
O que posso dizer desse sentimento/existência de ser MÃE?
No dia em que meu filho nasceu zerei o cronômetro (rs), recomecei como uma nova mulher.
Não que você deixe de ser a sua essência, quem você é, mas, com certeza, você NUNCA mais será como antes.
 
Na fase da adaptação em ser mãe, aprender a ser uma mãe logo que o filho nasce, passam alguns meses em que você não se reconhece ou realmente esquece que, além do seu filho, também EXISTE.
 
Não reconhecemos nosso corpo, pois já não é mais o mesmo, as roupas do armário ainda não servem ou se servem não são práticas e apropriadas para o novo ritmo de “vida de mãe”.   O filho sai lindo, cheiroso e arrumado de casa e você sai atrás do carrinho do jeito que DEU. Ou seja, de cara lavada, com a roupa que mais fácil de pegar no armário. E o cabelo? Rabo de cavalo, claro!
 
Juro que algumas vezes entrei até em desespero, pois acreditei nunca mais conseguiria ter um olhar para mim novamente, em todos os sentidos. Mas, hoje, afirmo que TUDO tem seu tempo e momento. E TUDO passa também!
Com o tempo, você vai conseguindo separar um pouco as coisas, seu filho e VOCÊ. Cada um com as suas necessidades e vidas.
 
Pode ser que nada do passado sirva mais. Seu estilo, seu gosto, seu jeito não são mais os mesmos. Não entre em pânico! Para tudo tem um JEITO! E o que vier daqui para frente, com certeza, vai ser a MELHOR versão de você mesma.
 
Eu não volto atrás.
 
Te amo meu filho!
FELIZ DIA DA GENTE!

Nenhum comentário:

Postar um comentário